desabafosbipolares@hotmail.com

2 de dezembro de 2016

Vitima de assedio é sempre a culpada


            Como relatei neste post (clique aqui), fui assediada no trabalho.
Como eu previa a mulher que me assediava, começou a se fazer de vítima, a perseguida, a religiosa que nunca faria nada de errado.
Agora ela está fazendo trabalho de formiguinha, indo de um em um e invertendo a situação. Cada hora um chega dizendo que estão falando de mim, que criei isto e blá blá blá.
De vítima de assédio sexual me transformaram em vilã. Ainda bem que tenho testemunhas. A vontade que tenho no momento de de passar de vítima para agressora. Ô VONTADE DE DAR NA CARA DE UNS ALI. Para que que uma pessoa inventaria uma coisa desta?
Que coisa cansativa. Só quero férias, sair daquela escola e não voltar nunca mais.
Que saco, nem sei como agir. Se for tirar satisfações e o negócio não vai parar nunca e vou passar é mais raiva.

Sério, minha escola precisa de um fumacê de Rivotril.

30 de novembro de 2016

Autoestima em baixa!!

Final de ano é um saco mesmo. Um turbilhão de emoções!!!
Agora meu sentimento passou de desajustada para não amada. Minha autoestima está no chão. Ainda bem que a meditação me segura, senão eu estaria chorando agora sem parar.
Antes eu vivia no passado. Agora quase me libertei bem do passado, mas ele ainda ronda.
Hoje caí na armadilha de ficar lembrando de atitudes de pessoas da família e amigos e me sentindo rejeitada. Pequenas falas estão fazendo um estrago de uma bomba. E também me sentindo explorada. Lembrando de quando não fizeram algo por mim. Faço tudo por um amigo, e esta semana a primeira vez que pedi algo ele enrolou e não fez. Ele nunca fala não para ninguém no trabalho e a boba aqui que vive defendendo, ele não fez. Aí um monte de lembranças de quando  minha mãe não fez, minha irmã, aquela amiga, meu filho. Para, estou me torturando... passou, é passado... Não quero ficar revivendo, já vivi. Quero ficar no HOJE;
Sentindo-me a otária, e devo ser mesmo. Hoje estou sentindo-me a pior, burra, otária, feia, gorda, desarrumada, sem vaidade, preguiçosa... Aff...

 Vou e meditar, isto tem que passar. Vai passar.

28 de novembro de 2016

Sentindo-me desajustada



Hoje estou com aquela sensação de não pertencimento. Não pertenço a nenhum grupo, não me encaixo a nada. Amigos acabam me entediando. E se fico reclusa ainda acham que estou triste.
NÃO, NÃO ESTOU TRISTE!!! Gosto de ficar só às vezes. Canso-me das mediocridades. Não que eu seja melhor ou pior do que quem quer que seja. Só sou diferente.
Às vezes me pergunto: _ Se existem tantos outros “diferentes” como eu, porque não os encontro?
Mas será que se eu os encontrasse eu iria me entediar também?
Estou me sentindo muito só. Queria alguém para sair comigo, mas para onde eu quero.
Convites tenho: Cinema para assistir filminhos de comédia (não estou para isto). Shopping (não tenho dinheiro). Bar (além de não beber mais ainda tenho amigas que não gostam do mesmo tipo de música que eu)
Que saco, estou chata, insensível e ao mesmo tempo chorando atoa. Com pique, mas com preguiça de fazer o que tenho que fazer,
Com uma gata louca que estou dando lar temporário que me ataca ao digitar e arranca sangue. Não sei se digito ou balançando o ratinho para ela.
Véi, sério QUE SACOOOOOO. Não estou me suportando hoje.

Quero fazer alguma coisa , mas não quero sair....

29 de outubro de 2016

Tornando-me fria!!! Assédio sexual no trabalho!!!



Já vivi muitas coisas, muitas decepções. Fui ficando calejada, sábia, esperta, precavida. A vida tem complicações para todos, eu sei, mas para os bipolares, depressivos, fóbicos, nossa, só quem passa por isto pode avaliar.
Quem diz:" _ Eu imagino!!"... Na verdade não faz idéia.
Nunca podia imaginar sofrer o que sofri neste semestre. Ser assediada por uma mulher no trabalho, e de uma forma doentia.
Se fosse um homem, eu ou daria um tapa na cara dele, ou rodaria a baiana ou ia direto para a delegacia.
Mas com uma mulher, alguns colegas viam e caiam na gargalhada, como se fosse engraçado. A ela está brincando... Você permitiu... Ficou brincando com ela e fez ela achar que podia...
Fui sábia. Fechei a cara, fui grossa, falei para a pessoa que ela estava exagerando, para parar, e fiz umas 6 pessoas perceberem e serem minhas testemunhas (mesmo sem saber minhas intenções). Porque meu medo era eu brigar, falar alto e alguém comentar. A, ela é readaptada, não é normal, coitada da fulana, nunca fez isto, ela é hétero e muito religiosa. Me julgarem, condenarem e ela passar a ser a vítima.
Aí a dita cuja começou como uma brincadeira, depois foi exagerando e  a quando me via sentada, falava besteira no meu ouvido de jeito que ninguém ouvisse, só eu. E um dia passou a mão nas minhas nádegas e enfiou a mão no meio das minhas pernas.
Tive até ânsia de vômito de raiva. Mas tinha uma turma de alunos de 4 anos ao meu lado (veja a cara de pau da dita) e não tive como reagir na frente dos alunos, pq eles estavam chorando , esperando seus pais irem buscar pq a professora não tinha ido trabalhar.
Ruminei aquilo dentro de mim. Na segunda-feira amanheci na sala do diretor, chamei uma amiga de testemunha e contei tudo para ele. Falei que tinha testemunhas e que estava avisando porque eu iria apelar, ia na delegacia se continuasse e para ele não pensar que eu estava fazendo isto pq eu era uma readaptada desequilibrada.
No fim, o combinado é que a minha amiga falaria com a dita cuja, se ela voltasse a chegar perto de mim o diretor agiria. E o interessante é que esta amiga confessou que saiu da outra escola pq foi assediada por uma professora tbm e o caso foi parar na delegacia. Que isto??? As mulheres estão pirando.
Eu  alertei o meu diretor. Falei: A partir de hoje ela vai começar a se fazer de santa e vítima. Vai começar a falar de Deus, missa e Nossa Senhora. Não deu outra.
Resumindo, minha amiga conversou com ela seriamente, ela se fez de vítima e disse que nunca encostou em mim e que eu que a abracei no dia do enterro de sua mãe, foi a única vez que nos tocamos (olha a cara de pau e o drama). Disse que é muito religiosa e que nunca falaria nada imoral para ninguém. Bingo acertei.
No outro dia foi aniversário da dita cuja e uma colega a abraçou e perguntou onde seria a festa. A cara de pau disse: _ Sou muito religiosa, vou comemorar na missa, em oração!!!
E a doida sou eu???? E se eu não tivesse conseguido me segurar para que outras pessoas pudessem presenciar o assédio? Eu passaria por louca. A readaptada surtada. A bipolar desequilibrada. QUE RAIVAAAAAAAA....
O mais chato de tudo isto é que me fechei totalmente. Sou carinhosa, chego  dou um oi, um abraço meus chegados. Nossa, perdi a vontade até de desejar um bom dia. Quero sumir daquela escola. Vontade de nunca mais voltar...
Mas o ano está acabando. Tenho que conseguir terminar este ano sem me deixar afetar. Que merda isto. Já tenho pavor de final de ano, de Natal e sempre tem que acontecer algo para piorar estes dias. Assédio sexual no trabalho e de mulher, foda isto...

27 de agosto de 2016

Sem medicação, mau humor nas alturas

Mau humor do cão!!!



Nossa, estou num mau humor do cão. Estou até calada, melhor nem conversar com ninguém do que’ me arrepender do que posso falar.
Estou sem medicação a alguns meses. A meditação me equilibra e pensei poder não tomar remédio por um tempo e só me equilibrar meditando. Estava fazendo um tratamento e tomando 15 remédios diferentes, era um tratamento de choque e só por 3 meses. Tratamento acabou. Hora de voltar para o Lítio.
Só que estou sentindo tanta dor no pé (fascite plantar), que chego em casa e só quero ajeitar a casa rapidinho, tomar banho e ficar deitada.  O repouso ajuda a acelerar o processo de desinflamação. Aí... não estou meditando, deito, ou durmo ou fico com preguiça mesmo.
E estou com muita dificuldade de manter a meditação por mais de 3 minutos. Pensamento acelerado. Tem técnicas que sei que fazem efeitos. Mas NÃO ESTOU CONSEGUINDO. Não tenho ido meditar com os outros yoguis pq sinto que vou atrapalhar a vibração, por estar irritada e ansiosa.
Resultado. Mau humor, falta de paciência. Voltei a tomar o Lítio hoje.  Nem eu estou me suportando. O tempo todo a beira de uma briga. Paciência zero com a humanidade.
Não estou deprimida. Ansiedade batendo, mais na hora que tenho que interagir no trabalho. Já bate aquela agonia. Falta de paciência, receio de brigar ou responder com muita falta de educação. Estou tão "atrevida”. Sincera em excesso.
Resultado? Dor, estou tensa, pescoço costa, tudo dói. Optei em ficar o mais muda possível. A burrice me incomoda.
Ok, o Lítio vai começar a fazer efeito em poucos dias, vou voltar a conseguir meditar. Infelizmente preciso de ajuda externa. Só a meditação não segura. Sei que se fico sem minhas medicações (Lítio e Bupropiona) acabo tendo recaída. Mas sempre que estou bem, tenho uma vontade irresistível de dar um tempo de pelo menos 1 mês. Aí os sintomas começam a bater na porta. Não abro, Volto para as medicações. Fazer o que?

Vou para o parque, tentar meditar em meio à natureza. SOZINHA!!!




.

5 de junho de 2016

Cansei, não aguento mais trabalhar



As coisas andam bem, quase na mesma.
Dores, falta de energia, necessidade de silêncio e solidão, e continuo gorda. Não consigo emagrecer, à noite tenho fome emocional.
Mas com tudo, ainda me sinto melhorando. Rindo, estou meditando ainda mas coletivamente só uma a duas vezes ao mês. Quando volto do trabalho só quero ajeitar a casa, lanchar, tomar banho e ficar deitada assistindo TV.
Foco em que falta menos de um ano para me aposentar (se a mudança da Lei não me alcançar). O trabalho ainda é meu calcanhar de Aquiles. Muita fofoca, maldade, maledicência, muita intriga, muita infantilidade. Tento ficar fora das fofocas, mas não tem jeito, quando você percebe, está ou concordando com a fofoca ou comentando. Fico me policiando. Mas é tão difícil. SOCORRO!!!!
Fiquei uma semana de atestado por causa da fibromialgia. Melhorei, No dia que voltei até senti um choque. Minhas dores voltaram. Frio na barriga ao ver certas pessoas do trabalho. Já chegam com olhar de cobra para cima de você. Guerra de egos por tanta bobagem. Chegam a brigar para ver quem decide mais em nas questões da festa junina.  Tem muitas professoras\professores de Ensino Fundamental que começa a regredir, a agir como seus alunos. Pelos deuses... NÃO AGUENTO !!!
Arrasto-me todos os dias para ir trabalhar. Tento fazer meu melhor. Sempre, em todos os lugares tem pessoas maravilhosas, tento ficar perto delas, mas nem sempre é o que acontece. Chego em casa e sinto que estou apenas sobrevivendo.
Não aguento mais. Professores deveriam aposentar com 25 anos de trabalho em sala de aula. Nossa saúde física, mental e emocional vão para o buraco negro e lamacento. Já era para eu ter aposentado em agosto de 2012. Mas ainda não tenho idade mínima.
Trabalho a 30 anos, mais da metade disto doente, mas na ativa, sou guerreira, sou sobrevivente, mas a 2 anos me arrasto. É horrível estar readaptada. Você às vezes trabalha como burro de carga e às vezes tem pouco ou nada para fazer devido a falta total de material nas escolas públicas. Aí só enxergam os dias que você não fez nada. Tem readaptado que não faz nada? Tem. Mas pelo menos na minha escola tem sempre o que fazer e todos fazendo o que podem. Readaptado é limitado em alguma coisa. As pessoas não respeitam isto, e muitas vezes os problemas são outros readaptados, os que são afastados de sala só por voz. Eles tem saúde física, mental e emocional plena, não entendem e julgam, julgam, julgam...
Não aguento mais. Preciso aposentar. Queria conseguir voltar para minha sala de aula ou... sei lá. NÃO AGUENTO MAIS!!!



10 de abril de 2016

Colegas de trabalho que te adoecem



            Estou em uma fase boa. Sinto alegria, tristeza, tédio, preguiça, raiva, amor.. em doses normais, sem extremos.
Neste estado de equilíbrio, posso observar como o ambiente de trabalho nos adoece. Nesta fase de “guerra” no trabalho, mudança de direção, telefonemas anônimos, ameaças, falsidade nível 1.000... estou envolvendo-me pouco nas discussões, prefiro observar e falar só se necessário e de maneira positiva. Para que jogar gasolina na fogueira? Prefiro ser a que usa o extintor.
Mas é impossível ser um ser sem sentimentos e opiniões. Sério, tem colegas de trabalho que te adoece com suas fofocas, intrigas, reclamações. Ficar às 40 horas semanais ao lado de gente assim, medíocre, fofoqueira, intriguenta, chata, acaba afetando qualquer um.
Li sobre ambiente de trabalho que te adoece na internet. Achei interessante:
... Assim, quando alguém derrama um caminhão de fofocas, de negatividade e drama em cima de você, você pode ter certeza que está sendo afetado bioquimicamente, diminuindo as suas chances ser feliz. A exposição a esse tipo de explosão emocional realmente provoca estresse. E já sabemos que o estresse mata. Portanto, reclamação e negatividade podem contribuir seriamente para a sua morte precoce.”...
Ler: https://terapeutasquanticos.com/2016/03/04/ciencia-explica-porque-reclamar-altera-negativamente-o-cerebro/

Nossa, não sei o que veem em mim quando me olham. Mas já me falaram que sabem que sou poderosa... Sou? Oba!!!!!!!!
Sou uma professora readaptada que fica em atividades técnico pedagógicas, quieta no meu canto, às vezes só digitando e nem converso com quem está ao meu lado. Concentro no que estou fazendo e não fico escutando conversa de ninguém.
Tem duas pessoas no trabalho que estão me enlouquecendo. Como é ruim saber que estão falando de você pelas costas e para os outros. Inventando e espalhando fofoca. Sensação de impotência. Vontade de sair correndo às vezes. E mudar de escola não vai mudar muito. Todo lugar tem as falsianes fofoqueiras e medíocres.
E acham que sei de tudo, que sou responsável pela saída de alguns amigos. Kkk A não ser que faço isto tudo pelo computador (que por sinal, não tem acesso à internet). Faço minha parte e tudo que me pedem com carinho. Quero que os dias passem logo, estou em contagem regressiva para minha aposentadoria. Venci, Consegui trabalhar 30 anos sem me matar e sem matar ninguém. Tive meus atestados médicos, mas os maiores foram agora no fim de carreira. Mas comparando com muitos profissionais que tenho visto, super doentes, nem pego tanto atestado assim.
Sei que tudo isto está me afetando porque meu sono está muito irregular, durmo menos do que devia. Estou com bruxismo e manchas roxas insistem em aparecer pelo meu corpo, não tenho vontade de interagir com ninguém, nem de sair, nem de me arrumar.  Mas comparando com o que já passei. Estou ótima, e cada dia ficarei melhor. Sinto isto.
Bem, o que posso fazer para me proteger deste ambiente e manter minha melhora crescente?
Vou falar cada vez menos, só entrar em assuntos do trabalho que são necessários (tipo: o que digitar, preparar, fazer...) e em assuntos que me façam rir, brincadeiras saudáveis. Porque sempre tem colegas de trabalho maravilhosos, podem ser poucos ou só um, mas tem.
Tentar sair mais para não ficar apenas com assunto de trabalho na cabeça. Novos ares. Mudar o foco.
Evitar ambientes nocivos, pessoas nocivas, não só no trabalho. Família, grupos gerais, vizinhos... blá, blá blá.
Meditar mais com o coletivo. Ando muito reclusa e meditando apenas sozinha. Meus irmãos yogues são tudo de bom. Rimos muito juntos, mas muito mesmo, apenas papos saudáveis antes e depois das meditações coletivas. Os momentos de silêncio com eles também são inenarráveis.

Então... eu sei o que fazer. Bora fazer. Umas férias e R$ 10.000.00 livres na conta também seria bom. 






.